Rede Democrática

Grandes avenidas ainda se abrirão por onde passará o homem livre! - Salvador Allende, 11 set 1973

  • aumente a fonte
  • Default font size
  • diminua a fonte
RedeDemocratica Noticias da Rede

Cerca de 100 jornalistas de Minas Gerais manifestaram apoio a Dilma Rousseff, afirmando que as violações à liberdade de expressão e ao direito à informação atingiram um “nível intolerável nos governos de Aécio Neves”. Os jornalistas se reuniram na sede da Associação dos Fiscais da Fazenda de MG, em Belo Horizonte, aprovaram e divulgaram a seguinte carta a propósito da eleição do dia 26, apoiando Dilma Rousseff:

Novo filme de Silvio Tendler será exibido no Circo Voador. Um dos cineastas que mais se importa e discute as questões do nosso tempo, Silvio Tendler apresenta seu novo filme Privatizações: a Distopia do Capital, nesta terça-feira, 21 de outubro, às 19:00h no Circo Voador. A entrada é franca. Uma iniciativa do diretor, da produtora Caliban e do Circo Voador de reunir pessoas para pensar o país já que estamos às vésperas de mais uma eleição extremamente importante para o Brasil. Após a exibição do documentário, bate papo com Silvio Tendler, Maria Juçá e Alessandro Molon.

Movimento Luta de Classes (MLC): Derrotar o PSDB é nossa tarefa! Estamos vivendo um momento importante da nossa conjuntura. Nessas eleições está em jogo a possibilidade da volta da direita reacionária no nosso país. É isso que a candidatura do Aécio representa, o que há de mais atrasado no Brasil. Arrocho salarial, avanço da terceirização, privatização, retirada de direitos da classe trabalhadora entre outros ataques. A exemplo dos meio milhão de demitidos durante as privatizações promovidas pelo FHC e defendidas pelo playboy Aécio. 

Por Wilson Santos

Na quarta-feira, 15 de outubro, dezenas de organizações dos movimentos sociais, sindical e estudantil se reuniram no auditório da OAB-RJ fortalecendo o apoio e a luta pela reeleição de Dilma Rousseff. Com a presença do Ministro Chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto de Carvalho, no momento licenciado, os militantes lotaram o grande auditório e demonstraram um clima de muita confiança e disposição. O encontro objetivou fortalecer a unidade de luta e encaminhar ações concretas no estado, buscando ampliar a votação de Dilma no Rio de Janeiro, o que pode ser decisivo na conjuntura nacional.

Intelectuais e dirigentes de organizações populares fazem denúncia acerca de uma grave ingerência do imperialismo para manipular as eleições em nosso país. Neste momento um retrocesso tático (processo eleitoral brasileiro) pode significar um retrocesso estratégico em todo o continente latino-americano, ao aumentar a pressão do imperialismo que busca destruir os processos de mudanças e as conquistas obtidas pelos povos das regiões. O sonho do imperialismo é utilizar nosso país como plataforma de agressão contra os nossos vizinhos. Reeleger Dilma é defender o Brasil e a América Latina da intervenção direta do imperialismo norte-americano! Isolar os setores mais reacionário das oligarquias, impedindo-os de chegarem ao governo é a batalha dos próximos dias

Aécio Neves significa a completa subordinação ao neoliberalismo, à política de regressão de direitos, à dilapidação do patrimônio público e o alinhamento completo à política exterior dos Estados Unidos. Se eleito, estabelecerá a prática do confronto e desestabilização de governos populares e progressistas de Nossa América, a exemplo de Cuba, Venezuela, Bolívia, assim como a questão palestina, que voltaria a ser tratada simplesmente como “terrorismo”. Em sua campanha no primeiro turno Aécio apontou abertamente a intenção de retomar a agenda intensiva de privatizações, bem como uma política econômica de viés monetarista, a partir da indicação prévia de seu futuro ministro da Fazenda, Armínio Fraga – principal operador da política econômica recessiva no governo FHC. 

Alguns grupos, partidos e movimentos sociais, que se reivindicam à esquerda ou críticos do PT, estão chamando seus seguidores a anular o voto. Não é impossível que algumas dezenas ou centenas de milhares aceitem trilhar por esse caminho. Não estou me referindo a todos os votos nulos. Muitos eleitores, por repulsa ao processo eleitoral, viram suas costas para todas as candidaturas e não querem conversa. O caso é com quem, a partir de um raciocínio progressista, está dizendo que tanto faz se ganhem os vermelhos ou os azuis.

Por Breno Altman

O Tribunal Regional Federal (TRF) de São Paulo reconheceu o direito do capitão do Exército Carlos Lamarca de ser promovido post-mortem a coronel, com proventos de general-de-brigada. Lamarca deixou as Forças Armadas e entrou na clandestinidade em 1969 para ingressar na luta armada contra a ditadura. Foi assassinado pelos militares em 1971. O presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, e a advogada da família Lamarca, Suzana Angélica Paim Figueredo, comemoraram a decisão histórica: “Do ponto de vista político e histórico, a decisão do Tribunal é extraordinária. É  o reconhecimento da luta daqueles que se colocaram corajosamente contra a ditadura, dos cidadãos iguais a Lamarca”, disse a advogada. Num cenário em que muitos parecem querer a volta do "cale-se", o país segue avançando, mesmo a passos lentos, no reconhecimento da sua história recente e na reabilitação da memória dos que deram suas vidas por uma causa justa. Agora é coronel Carlos Lamarca. Esse processo tem que continuar.

Na manhã de sexta-feira (10/10), quatro deputados federais eleitos pelo PSOL declararam voto em Dilma. Segundo nota publicada no perfil oficial deles no Facebook, diante do quadro que se formou para o segundo turno, Edmílson Rodrigues (PSOL/PA), Chico Alencar (PSOL/RJ), Jean Wyllys (PSOL/RJ) e Ivan Valente (PSOL/SP), declaram voto em Dilma. Os deputados destacaram que independentemente da vitória de Dilma, manterão a postura do partido de fazer oposição ao governo federal, mas que não podem permitir o retrocesso com uma vitória do tucano Aécio Neves (PSDB). 

"A situação eleitoral se tornou perigosa. A confortável posição “é tudo igual” não ajuda a resolver o dilema: um dos candidatos irá vencer o pleito. Está claro que estamos diante de uma ofensiva em escala mundial do capital financeiro internacional (nos marcos da crise estrutural do capital) e há um nítido predomínio da contrarrevolução preventiva, das contrarreformas e da regressão social. A candidatura destinada a cumprir essas medidas antinacionais e antipopulares no próximo período com maior eficácia é sem dúvida a do PSDB de Aécio Neves." Leia as notas políticas do Polo Comunista Luiz Carlos Prestes e do Movimento Pró-Frente (Brigadas Populares, PCLCP e Refundação Comunista).

Os proletários, camponeses e povos da Índia levam a cabo uma intensa Guerra Popular contra o Estado burguês indiano. O Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL), dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Maoísta), tem conquistado grandes êxitos e atualmente cerca de 1/3 do território do país se encontra sob o Poder Popular, o chamado ‘Corredor Vermelho’. O Jornal A Nova Democracia publicou importante declaração do Comitê Central do Partido Comunista da Índia (Maoísta), a organização que dirige a guerra popular no país, por ocasião da passagem dos 10 anos de sua fundação no último dia 21 de setembro de 2014, e avalia que a luta armada travada hoje na Índia constitui o processo revolucionário mais avançado da atualidade. 

Página 1 de 278