Rede Democrática

Grandes avenidas ainda se abrirão por onde passará o homem livre! - Salvador Allende, 11 set 1973

  • aumente a fonte
  • Default font size
  • diminua a fonte
RedeDemocratica Noticias da Rede

Durante os dias 29 de novembro e 7 de dezembro a cidade de São Paulo sedia uma série de atividades que fazem parte do I Fórum e Semana de Solidariedade ao Povo Palestino. Através de filmes, poesia, música e debates, o evento vai abordar o direito à soberania, os massacres, a resistência, a luta da mulher árabe e a forma como a mídia trata a questão palestina. O fórum é organizado pela Frente em Defesa do Povo Palestino e pelo Comitê pelo Estado da Palestina Já. Todas as atividades são gratuitas.

Do norte da África, passando por Recife, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, até se libertar da escravidão em Nova Iorque no ano de 1847. Assim foi uma parte da jornada de Mahommah Gardo Baquaqua, único escravo que passou pelo Brasil a ter escrito uma autobiografia. “Uma interessante narrativa: biografia de Mahommah G Baquaqua”, em tradução livre, foi escrita em inglês e lançada pelo próprio Baquaqua em 1854 na cidade estadunidense de Detroit para arrecadar fundos para a campanha abolicionista. O historiador Bruno Véras, com o apoio do Ministério da Cultura e do Consulado do Canadá, onde estão os originais da obra, estudou a publicação que deve ser traduzida para o português até o final de 2015.

Aproveitando o amplo engajamento político que a sociedade brasileira vem experimentando, a Auditoria Cidadã da Dívida, convida os cidadãos de todas correntes ideológicas, movimentos populares, organizações e instituições civis, para aprofundarem o debate sobre o sistema da dívida, e promover um ano de mobilizações em âmbito nacional com um único e específico objetivo - realizar uma auditoria da dívida pública. Temos que nos unir para conquistar nossa liberdade econômica e social.

O jornalista Breno Altman defende postura crítica frente ao governo da presidente Dilma Rousseff, em lugar da simples aquiescência. Em novo artigo, Altman afirma que o governo precisa de apoiadores críticos, que acompanhem os movimentos da presidente Dilma Rousseff e sua equipe sem complacência com eventuais erros – e sem justificar tudo em nome da governabilidade. "O militonto tudo explica e justifica", escreve ele na mais nova postagem para o seu blog. "O militante não abdica do direito e do dever de pensar com a própria cabeça", completa. Confira o texto na íntegra.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) lamentou a interpretação que alguns setores fazem dos debates sobre a regulação da mídia ao vincularem o assunto à censura e compará-lo a um atentado à liberdade de imprensa ou cerceamento da liberdade de expressão. Para ele, chama a atenção o fato de os empresários de comunicação e os contrários à regulação da mídia defenderem a liberdade de expressão e de imprensa, mas desrespeitarem o direito à informação e adotarem a parcialidade em jornais, revistas, televisões e rádios. "A regulação da mídia é condição inescusável para se garantir a soberania nacional. E eu não estou falando em cerceamento da liberdade de expressão. Estou falando em impedimento do estabelecimento do monopólio midiático", disse o senador, afirmando que o grupos que monopolizam a mídia são entreguistas e historicamente se opõem aos interesses nacionais.

Uma das principais propostas da recém reeleita Presidenta do país, Dilma Rousseff, começou a se realizar: dialogar aberta e construtivamente com a sociedade e com os diferentes segmentos sociais. Foi assim que no dia 26 de novembro, por quase duas horas, dialogou com representantes do Grupo Emaus, nomeadamente, Frei Betto, Luiz Carlos Susin, Rosileny Schwantes, Maria Helena Arrochellas, Marcia Miranda e Leonardo Boff. Este grupo, composto por cerca de 40 pessoas que já existe há 40 anos nasceu como resistência à ditadura militar, reunindo intelectuais e religiosos de várias partes do pais para analisarem a conjuntura política e eclesial e traçarem ações concretas junto às bases para acelerar o resgate da democracia, manietada pelo regime ditatorial.

Por Leonardo Boff

Dilma Rousseff recebe Leonardo Boff e Frei Betto e diz que prefere “ouvir críticas, do que apenas escutar as coisas boas”. O frade dominicano e escritor Frei Betto, o teólogo e intelectual Leonardo Boff e quatro integrantes do grupo Emaús se reuniram nesta quarta-feira (26) com a presidenta Dilma Rousseff e entregaram a ela uma carta com 16 demandas a serem analisadas em seu segundo mandato. Na avaliação deles, após a vitória de Dilma nas eleições, nas quais havia um risco de que o “projeto popular do PT” não continuasse à frente do país, é necessário maior diálogo com a sociedade.

Por Paulo Vitor Chagas

O psiquiatra Rossano Cabral Lima alerta para um sério problema da sociedade atual: o exagero nos diagnósticos de transtornos mentais e na prescrição de remédios, em especial para crianças. Além de explicar e questionar os principais diagnósticos da atualidade, como o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e a Síndrome de Asperger, ele comenta sobre os contextos sociais e econômicos ligados a esse problema. Como a criança é a principal envolvida nessa história, rossano não poderia deixar de refletir sobre o papel da escola diante dessa realidade.

No 1º Café Filosófico CPFL do módulo “Novos tempos na política”, o filósofo Marcos Nobre diz que a polarização da eleição de 2014 confirmou o recado de junho de 2013: “não precisamos mais andar grudados uns nos outros para que o país ande”. Uma das perguntas que as pessoas se fizeram após a eleição de 2014 foi: “por que tanto ódio?” A resposta, segundo o filósofo e cientista político Marcos Nobre está em junho de 2013. No primeiro Café Filosófico CPFL do módulo “Novos Tempos na Política – O Outono do Patriarcalismo”, o professor da Unicamp afirmou que os resultados das manifestações do ano passado “ainda estão acontecendo”.

O Caso Rafael Braga retrata o que é criminalização da pobreza. Morador de rua, em 20 de junho de 2013 foi preso porque levava duas garrafas plásticas, de água sanitária e detergente, com o que limpava locais onde dormia durante a semana, por falta de dinheiro para ir para casa todo dia. Rafael foi acusado de portar coquetéis molotov. Não houve perícia em fase judicial. A prova técnica foi a policial, tomada como verdadeira para a condenação, mesmo concluindo pela pequena capacidade de combustão do material apreendido. Mas, o pior: a denúncia acusou Rafael de fatos cometidos em 21 de junho, um dia após já estar preso.

Por João Batista Damasceno

Nesta quinta-feira, 27 de novembro, às 10h, acontecerá o Ato pela “Reforma Política Democrática Já!”, na sede da OAB-RJ. O evento, que está sendo promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro (OAB-RJ), também promoverá o lançamento do livro "A OAB e a Reforma Política Democrática”. Estarão presentes neste ato importantes entidades, organizações e movimentos sociais, como: Coalizão Democrática, Instituto João Goulart, MST, CONTAG, CNBB, UNE, UEE-RJ, UBES, UEES, AMES, UBM, Fora do Eixo, Consulta Popular, CUT, CTB, Barão de Itararé, CEBES, Levante Popular da Juventude, SENGE; Parlamentares e representantes de partidos políticos: PT, PDT, PSB, PCdoB, PSOL, PCR.

Página 1 de 289